quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

O MOMENTO AINDA OPORTUNO.






CORRE NO PROTOCOLO!!

Durante a votação dos embargos de declaração julgados pelo TRE-MG, o qual, já anteriormente previstos por “mim” que seriam rejeitados tendo em vista a sua fragilidade em termos processuais, no QG montado no Palácio da Caixa D’água, de onde sairá, em caso de uma posse mesmo que temporária, a lista poderá, quiçá, recompor um eventual “rereregoverno” de Jussara. 

De dentro do comando central da coisa, em BH, existia uma torcida para que uma barrigada jurídica fosse cometida. Segundo uma fonte, haveria uma torcida para que uma cautelar fosse impetrada junto ao TRE. 

Segundo a fonte, a torcida era grande, pois, diante de uma “provável” negativa do pedido cautelar, um eventual recurso junto ao TSE com pedido liminar poderia ficar viciado e colocaram em alto grau de risco que a análise do pedido a ser feito, em grau de recurso, perderia seu efeito e afastaria uma eventual recondução do prefeito, caso assim seja necessário, durante análise do recurso pelo TSE. 

O pedido cautelar, ate agora, não foi impetrado. Mas, segundo a fonte, caso seja levado a efeito, o mesmo teria o efeito “placebológico”. Há quem diga que a lista já teria sido entregue por Jussara para que os “seus” sejam realocados em pontos estratégicos  em caso de posse. Ainda falta lenha pra queimar até o final costura do tapete.


SEM TAMBOR

Nos idos de 2013, bem no começo, uma aviso teria sido dado para o prefeito de Lavras. No dito aviso, sem os efeitos do batido do tambor, a coisa teria sido quase ignorada. Alguns nomes ligados a Câmara teriam sido elencados e devidamente classificados. 

Diante do inicio do mandato, a coisa não foi levada muito a sério e a busca do apoio foi sobreposta ao teor dos avisos. Hoje, em meio ao turbilhão político, o antes aviso emanado, ao que parece, está ecoando como um presságio em confirmação. 

Durante as manifestações o que se comprovou foi que a maioria antes apontada como “ambíguos”, maciçamente, confirmou a suas pretensões. Há quem diga que, nos bastidores, declarações baseadas no “...apoiava , mas não era bem assim...” já teriam sido emanados. 

Em tempo: alguém já assistiu aquele filme “Trair e coçar e só começar”? Boa dica para o carnaval, sem nenhum duplo sentido é claro.


AMIGO ??! PERO NO MUCHO 

Durante uma conversa em uma visita de um professor universiatário a um outro, uma informação teria sido dita e que poderia mais uma vez, após tantos e tantos sinais emanados por algumas facções, caso se confirme, mostrar a real natureza humana. 

Segundo o dito professor, muito conhecido do meio acadêmico, uma pessoa a qual teria dado sinais claros de apoio ao Palácio, nos bastidores estaria já em avançada conversa "quadrilateral". 

No que concerne e acredita o professor, o elo universitário entre "as partes" estaria facilitando uma eventual aliança em apoio a uma, quem sabe, eventual mudança de quadro no município. 

Há quem diga que pessoas ligadas ao PSDB, conviventes no mesmo espaço universitário já estariam se movimentando para “ganhar janelas” no campo político visando pleitos futuros. 

Como tenho um dom nada confortável de "enxergar almas”, eu não duvido.




EM TEMPO:

Em caso de uma possível publicação de acordão sobre os embargos, em quase recesso para o carnaval, a publicação pelo TRE-MG, ficaria prejudicada. 

Diante disso, segundo uma fonte ligada aos escritórios de ajuda ao grupo do PSDB, a coisa não seria publicada mas, segundo a  mesma fonte, a diplomação poderá ocorrer de forma expressa, sem com isso esperar a publicação conforme determina o rito o processual para validade da decisão. 

Veremos se acertarei ou não. 

Estou apostando, no sentido figurado, 10 reias por um em minha tese.  
 

4 comentários:

Anônimo disse...

Por total desconhecimento seu em relação ao rito processual do TRE, vou lhe ajudar. Após o julgamento do embargos e certamente eles não serão acolhidos, há no TRE o sistema de comunicação digital que comunica imediatamente ao cartório eleitoral de Lavras a decisão. O juiz eleitoral de Lavras pode ou não esperar a publicação no Diário da Justiça Eleitoral. A diplomação e não posse só dependerá do juiz eleitoral da nossa comarca querer fazer o ato de diplomação. simples assim!

Plínio Fassio disse...

Nossa, novamente o fantasma do retrocesso em Lavras.
Quando eu penso que haveria renovação na política, administração profissional em nossa cidade tudo desanda. O legislativo se renovou em 60% no último, mas continua a mesmice. Legisladores despreparados, desavisados, incompetentes que se quer apresentam projetos para a sociedade. Assemelha-se ao governo federal que não tem projeto de nação e sim projeto de poder, projeto político. O que se ver por aqui é tão somente a manutenção do cargo a qualquer custo. A nossa política está falida. Mas vocês acertarão as contas com a própria consciência nessa ou na próxima vida.
O senhor!!!!
O que nos resta é seguirmos a vida no caminho da retidão fazendo o que nos é licito e correto. Enquanto aos senhores, ah! deixa pra lá.

Ao senhor que vai assumir a tão desejada prefeitura de Lavras faça-nos um favor: Administre essa cidade com seriedade. Mostre que estamos todos enganados e que aquela "coisa" não terá vez na administração do porvir. Quem sabe nesse ínterim o senhor não foi tocado de alguma forma pelo Amor Crístico e responderá a altura fazendo dos 2 últimos anos e meio de administração que lhe resta uma administração impecável. Pois não conte com a mesma sorte na próxima eleição.

Plínio Fassio
Zootecnista
Mestre em Zootecnia

Anônimo disse...

Este plinio nem de Lavras dever ser. gosta ainda ostentar titulo de mestrado em zootecnia. me ajuda aí né pseudo intelectual. já não faz nada nesta UFLA e ainda vem palpitar na nossa política. vai coçar o saco como a maioria dos professores, mestres e doutores da UFLA fazem.

Anônimo disse...

Caramba!Se fosse o Silas eleito e a coligação "Lavras Pode Mais" entrasse na justiça para contestar o resultado da eleição tenho certeza você estaria escrevendo no seu blog que o TRE fez correto,que agiu como manda a lei etc...
Pera aí foi feito uma investigação,foi comprovado que houve irregularidades,os resultados que levaram a cassação foram incontestáveis,teve manobras da coligação perdedora como arrumar emprego para o marido de uma juiza,contratar filho do presidente do TRE etc..Sabe de uma coisa,temos que esquecer a paixão poe esse ou por aquele candidato,assim deixaremos de sermos hipócritas,errou tem mesmo que ser cassado e quem me disse que houve muita irregularidade são pessoas próximas a mim e que trabalharam e trabalham com a os Cherem.